top of page

Homem perde a vaga de emprego e mata a gerente que o dispensou


Uma mulher, gerente de um restaurante no Mangabeira Shopping, em João Pessoa, morreu após ter sido baleada enquanto trabalhava, no início da tarde sexta-feira (12).


O suspeito, Luiz Carlos Rodrigues dos Santos, também chegou a fazer reféns no local e se entregou após negociação com a polícia.


Segundo a polícia, a mulher se chamava Mayara Valeria Barros, tinha 37 anos e trabalhava no restaurante há poucos meses.


A vítima recebeu os primeiros atendimentos na enfermaria do shopping, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.


Além de ter atirado na gerente, o homem fez dois reféns.


A Polícia Militar informou que o suspeito disse que a ação teve motivação pessoal, após ter sido rejeitado em uma entrevista de emprego.


"Segundo ele, a gerente tinha dito que com uma semana ele receberia a resposta.


 Foi passando o tempo e aí ele tentando ligar para ela e ela não atendia.


Ninguém dava uma resposta.


Se ele tinha sido aprovado ou não", explicou o coronel Marcos Benevides, que participou da negociação com o suspeito.


O policial explicou que o Luiz Carlos relatou que se sentiu discriminado por ser pobre.


"Ele diz que está desempregado, está sendo despejado daqui.


Casa onde ele paga o aluguel, não tem a menor condição, e se sentiu discriminado por não ter uma resposta.


E hoje, quando ele acordou, ele se sentiu diferente com aquele desejo de matar a mulher, a gerente.


Quem conversou com ele viu que ele não estava em sã consciência.


O que ele falava era algo assim de alguém que não estava normal", disse.


De acordo com informações do delegado André Macedo, da Polícia Civil, o suspeito planejou durante a semana a ação no shopping.


Ele já tinha a arma há algum tempo, segundo a polícia.


O suspeito vai responder por homicídio, tentativa de homicídio contra policiais, homicídio qualificado por motivo fútil e ainda há análise para colocar outras qualificadoras.


A polícia apreendeu o revólver 38 usado no crime, além de 38 munições intactas e seis deflagradas.


Mayara foi atingida por dois tiros.


  • Tiro e reféns em shopping


Após duas pessoas terem sido feitas reféns e negociação com o Grupo de Operações Táticas (Gate) da Polícia Militar, o suspeito se entregou à Polícia Militar.


A gerente foi atingida nas costas.


Ela morreu no local quando recebia os primeiros atendimentos.


Segundo a Polícia Militar, o suspeito disse que fez uma entrevista de emprego no estabelecimento do shopping, não obteve êxito e nenhuma outra resposta e sentiu-se menosprezado.


Uma testemunha que estava em uma academia no momento informou ao g1 que o shopping foi fechado e as pessoas impedidas de sair, para que a polícia pudesse conter o suspeito que estava armado.


O Mangabeira Shopping emitiu uma nota em solidariedade à "perda irreparável" de Mayara e informou que o shopping vai permanecer fechado nesta sexta-feira (12) e só volta a abrir no sábado (13).


"Expressamos a nossa solidariedade à família de Mayara e estamos oferecendo todo o suporte necessário à sua familia neste momento tão difícil", diz a nota.


Inicialmente, as informações no local eram de que a mulher estava grávida, mas o marido dela confirmou à polícia que ela não estava grávida.




  • Temos uma novidade para você: o nosso site está de cara nova!


Agora, você pode receber todas as nossas notícias diariamente no seu e-mail, de forma rápida e fácil.


Basta clicar no botão “Assine já” no canto superior direito da tela e se cadastrar gratuitamente.


Assim que você se cadastrar, você já vai começar a receber as notícias em primeira mão.


Não perca essa oportunidade.


Em breve, teremos um app.

Comments


bottom of page